Águas de Lindóia é um município do estado de São Paulo, abrange uma área de 60 km², esta ao norte do Estado de São Paulo, a 7 km da fronteira com Minas Gerais, em uma ramificação da Serra da Mantiqueira, limites com Monte Sião, Lindóia, Socorro e Itapira, e sua população estimada é de 17.000 habitantes.

A altitude média do município é de 945 metros, atingindo seu ponto mais alto no Morro Pelado, aos 1.400 metros de altura. Por estas características goza de um clima agradável, classificado como transição entre subtropical e tropical de altitude.

Capital termal do Brasil, famosa pela cura de suas águas termais, grande rede de hotéis para lazer, turismo, eventos e convenções. Lindóia, segundo os estudiosos é corruptela do Tupi Rindoya e significa: água insípida e quente ao paladar.

Os tropeiros que viajavam para o planalto goiano, passando por Minas Gerais, foram os maiores divulgadores dos poderes das águas da região. Estes tropeiros se demoravam no local porque já sabiam dos propriedades das águas curativas, e assim começou, através desta gente simples, a divulgação do poder das águas.

Um clérico de Amparo, Padre Bueno, tendo curado suas moléstias nestas águas do Ribeirão de Águas Quentes, resolveu adquirir as terras. Com sua morte, seus herdeiros colaterais, leigos em assunto de medicina, abandonaram as terras.

A partir de 1850, quando o café dominava grande parte de nossas exportações, terras hoje pertencentes a Amparo, Serra Negra, Socorro e também Águas de Lindóia, foram retalhados em fazendas de café. Inúmeras famílias imigrantes européias, principalmente, italianas, vieram trabalhar como colonos nestas áreas.

A família Tozzi, vinda da Itália, para Serra Negra, por volta do início do século XX, encontra na figura do médico Francisco Tozzi o iniciador de novos destinos, não só de sua família, como de uma nova cidade.

Aconselhado por seu tio, padre Henrique Tozzi, também curado de alguns problemas de pele, como padre Pedro Bueno, vem para as terras das águas quentes verifica os seus grandes prodígios, Impressionado com as curas resolveu adquirir estas terras, o que aconteceu por ocasião do leiloamento daquela área, iniciando assim o seu marco como cidade.

Após sua morte, aos 68 anos, em 1937, a cidade recebe um grande choque, porém seu destino continua com outras liderança e logo, em 1938, a cidade se emancipa administrativa e politicamente.

Em 1941, o embaixador Macedo Soares, então governador do Estado, conhecendo a projeção adquirida pelas então Termas de Lindóia, pelo ser afluxo cada vez maior de doentes e turistas, resolveu desapropriar as fontes e áreas de terra que a circundava.

Surgia, então, o plano urbanístico: ruas foram abertas e asfaltadas, jardins foram feitos, iniciando-se, em 1954, a construção do novo balneário, terminado em 1959.

Em 1950, foi declarada de utilidade pública uma área para construção de um parque, atualmente Praça Dr. Adhemar de Barros, e em 1963, iniciaram-se obras com plano do paisagista Burle Marx.

Águas de Lindóia é um dos 11 municípios paulistas considerados estâncias hidrominerais pelo Estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré-requisitos definidos por Lei Estadual. Tal status garante a esses municípios uma verba maior por parte do Estado para a promoção do turismo regional. Também, o município adquire o direito de agregar junto a seu nome o título de estância hidromineral, termo pelo qual passa a ser designado tanto pelo expediente municipal oficial quanto pelas referências estaduais.

.

Prefeitura

Wikipédia

.

.

[mappress mapid=”64″]

 

Scroll Up